Últimas >>
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

terça-feira, 28 de maio de 2019

Selecionados para o Iges-DF vão começar a atuar em 10 de junho, diz Saúde

GDF assinou contrato para expansão da gestão do instituto. Ao todo, são oferecidas 2,4 mil vagas.

Por Pedro Alves, G1 DF

O secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto — Foto: Mariana Raphael/Agência Saúde


O Governo do Distrito Federal assinou, nesta segunda-feira (27), contrato para ampliar o número de unidades de saúde sob controle do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges-DF). Agora, além do Hospital de Base, serão administrados pela entidade o Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e seis Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs).

Com a formalização do acordo, o instituto vai dar seguimento ao processo de seleção de colaboradores. Até sexta-feira (24), último dia de inscrições, foram registrados 43.961 candidatos para as 2,4 mil vagas que serão disponibilizadas. A previsão é de que eles comecem a trabalhar em 10 de junho.

De acordo com a Secretaria de Saúde, 1.190 colaboradores serão alocados no Hospital de Santa Maria (HRSM). No Hospital de Base serão 701 contratações e nas UPAs, 529. Ao todo, serão 40 cargos diferentes.

Fachada do Hospital Regional de Santa Maria, no DF — Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília


A pasta afirma que os profissionais "serão selecionados em etapas rigorosas". A próxima fase é de avaliação técnica, em que serão cobrados conhecimentos específicos. Em seguida, o Iges-DF vai analisar o perfil comportamental dos candidatos.

O processo de contratação para todos os cargos só deve ser concluído entre o fim de junho e o início de julho. Serão priorizados médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, que vão ser contratados no regime da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT).

Saída de servidores

Com a transferência da gestão do HRSM e das UPAs ao Iges-DF, servidores que estão lotados nas unidades podem pedir transferência para outros locais. Segundo a Secretaria de Saúde, dos 3.177 servidores que estão nessas condições, 1.715 optaram por continuar operando nessas estruturas.

Outros 897 vão retornar para os cargos de origem e 565 ainda não responderam. O Iges-DF tem até 150 dias para liberar o servidor que optar por ser removido, o que só vai acontecer quando a vaga for reposta.

Fachada do Hospital de Base — Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília.

Os servidores que optarem por continuar serão mantidos na estrutura do Iges-DF sob regime de cessão especial.

Iges-DF

No evento desta segunda, o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, explicou que o Iges-DF terá de cumprir metas para receber recursos públicos.

“O contrato define as metas a serem cumpridas pelo Iges-DF a partir deste momento. A Secretaria de Saúde definirá os valores que serão repassados e, dessa forma, eles terão de demonstrar, dentro dessas metas, o atendimento à população”, afirmou.

Segundo a pasta, o orçamento do instituto para este ano é de R$ 863,8 milhões. Segundo o governador em exercício, Paco Britto (Avante), a expectativa é, no futuro, transferir também a gestão do Hospital Regional de Taguatinga ao Iges-DF.

Nenhum comentário:

Postar um comentário



imagem-logo