Últimas >>
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

domingo, 17 de março de 2019

Seduh participa de audiência pública sobre orla do lago Paranoá

Consulta foi convocada pela Vara de Meio Ambiente, Desenvolvimento Urbano e Fundiário e teve o objetivo de coletar contribuições da comunidade ao tema
AGÊNCIA BRASÍLIA *

O secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Mateus Oliveira, confirmou que serão mantidos os compromissos firmados pelo Executivo /Foto: Divulgação/Seduh

O cumprimento integral da decisão judicial referente à desobstrução da orla do lago Paranoá foi reiterado pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh) em audiência pública nesta sexta-feira (15), durante debate convocado pela Vara de Meio Ambiente, Desenvolvimento Urbano e Fundiário do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT). A Secretaria participa porque o Governo Distrito Federal é parte no processo judicial.

Entre os compromissos confirmados pela Seduh está o de não retroceder em acordos firmados pelo Executivo local. É o que explicou o titular da pasta, Mateus Oliveira: “Não há que se falar em retrocesso em torno da decisão judicial e dos acordos firmados pelo governo”.

Como o tema é de interesse público, o tribunal considerou fundamental ouvir a população. Por isso, explica o juiz Carlos Maroja, foi feita a convocação da audiência pública. “Este é um instrumento muito útil na discussão sobre demandas de interesse coletivo, na medida em que se abre a voz aos interessados, que são todos os cidadãos”, destacou.

Masterplan

Por sua vez, a implementação integral do Masterplan (planejamento urbano mais flexível) está sob análise das áreas técnicas da Seduh, da Secretaria de Meio Ambiente (Sema) e do Instituto Brasília Ambiental (Ibram). Isso porque, na avaliação do GDF, o projeto vencedor é uma proposta de ocupação e não tem caráter executivo. “O Masterplan representa o pontapé inicial, e não há obrigação de implementar o que lá está tal como proposto”, defendeu Oliveira. O Masterplan consolidado está disponível na página virtual do concurso.

O momento, de acordo com o secretário, é de serenidade para analisar as propostas que constam do Masterplan. Entre os pontos sob revisão, está a interligação de toda a orla por meio de ciclovias, com pavimentação asfáltica em Área de Preservação Ambiental (APP) e a instalação de roda-gigante e do mirante.

Também serão revisadas as intervenções em áreas alagadas e de vereda, que são enquadradas como APP independentemente dos 30 metros a partir da linha d’água do lago Paranoá.

A reavaliação não impede, contudo, a melhoria dos espaços públicos em unidades de conservação. É o caso da requalificação do Parque das Garças, no Lago Norte, e na Área de Relevante Interesse Ecológico do Bosque, na QL 10 do Lago Sul, para uso da população, com menor impacto ambiental possível.

A implementação das unidades de conservação, com o estabelecimento de plano de manejo, é uma das prioridades da Secretaria de Meio Ambiente. Além disso, o órgão prepara levantamento detalhado da situação de toda a APP do espelho d’água. “Nas áreas onde há vegetação nativa, a orientação é preservá-la. Onde há degradação, é necessário recuperá-la e, então, decidirmos como será a ocupação”, explicou a subsecretária de Planejamento Ambiental e Monitoramento, da Secretaria de Meio Ambiente (Sema), Maria Silvia Rossi.

* Com informações da Seduh

Nenhum comentário:

Postar um comentário



imagem-logo