Últimas >>
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

Deputada aponta Centro de Ensino 6 da Ceilândia como modelo e destaca aprovações

Segundo Arlete, a escola aprovou 152 alunos em vestibulares vestibular, o que representa 79,6% dos que participaram de processos seletivos.

Entre os assuntos abordados pelos deputados distritais na sessão ordinária da Câmara Legislativa do Distrito Federal desta terça-feira (18), um dos destaques foi a educação, especialmente os resultados alcançados pelo Centro de Ensino nº 6, de Ceilândia. Ao apresentar os resultados obtidos pela escola no último vestibular, a deputada Arlete Sampaio (PT), do bloco Democracia e Resistência, defendeu a unidade como um modelo a ser seguido por toda a rede pública, em contraposição à militarização.

Segundo Arlete, a escola aprovou 152 alunos no vestibular, o que representa 79,6% que participaram dos processos seletivos. Numa escola militarizada, naquela mesma cidade, de acordo com a distrital, somente 12 alunos foram aprovados. A parlamentar lembrou que na abertura dos trabalhos legislativos deste ano, o governador cobrou do sindicato dos professores a apresentação de um modelo de escola ideal. "Não precisa apresentar, pois a rede de ensino público está cheia de exemplos de boa escola", disse ela, acrescentando que uma mudança na gestão da escola promoveu uma revolução no ensino, com a inclusão de teatro, música, educação física e grande envolvimento da comunidade escolar.

Merenda – Já o deputado Chico Vigilante (PT) criticou proposta em discussão no GDF de terceirização da merenda escolar. De acordo com o deputado, a medida coloca em risco o emprego de três mil merendeiras e ameaça os produtores rurais da agricultura familiar, que atualmente fornecem os produtos para as escolas. Vigilante disse que o governo já convocou uma audiência pública para discutir a terceirização do serviço. "Três mil merendeiras serão demitidas e não haverá garantias que as empresas comprarão dos produtores da agricultura familiar, podem até comprar de outros estados. Não vamos fazer nada? Vamos aceitar passivamente?", questionou, assinalando que atuará contra a mudança e promoverá debates sobre o tema.

O presidente da Câmara, deputado Rafael Prudente (MDB), afirmou que é necessário ter muito cuidado com "a economia a qualquer custo". Para ele, é importante garantir os empregos das merendeiras e também a situação dos produtores rurais locais.

Trânsito – Outro tema abordado nesta tarde foi a inclusão de uma faixa exclusiva para ônibus na BR-70, próximo a Brazlândia. O deputado Jorge Vianna (Podemos) questionou os benefícios da mudança. Segundo ele, com a modificação na rodovia, na chegada a Samambaia, ocorre um afunilamento, que tem provocado "grandes transtornos e engarrafamentos muitos grandes". De acordo com o distrital, o trânsito piorou consideravelmente para quem mora naquela região. Vianna pediu que os engenheiros de tráfego avaliem melhor a situação.

Luís Cláudio Alves
Fotos: Carlos Gandra/CLDF 
Núcleo de Jornalismo – Câmara Legislativa

Nenhum comentário:

Postar um comentário



imagem-logo