ANÚNCIO

header ads

Governo investe R$ 455 mil em pesquisas de combate à violência contra mulheres

Fomento faz parte do pacote de ações lançado em março, em parceria com a Fundação de Apoio à Pesquisa do DF, para proteção de meninas e mulheres.

Projetos de pesquisas relacionados ao enfrentamento da violência contra meninas e mulheres ganham apoio do governo nesta sexta-feira (6). Serão destinados R$ 455 mil para trabalhos universitários inscritos no edital da Fundação de Apoio à Pesquisa (FAP-DF).

Os coordenadores das seis propostas contempladas assinaram hoje, em solenidade na Casa da Mulher Brasileira, os termos de outorga que os habilitam a receber o recurso.

O investimento integra o pacote de ações do governo para o fortalecimento do sistema de proteção e promoção dos direitos das vítimas de violência doméstica.

“Temos uma rede de enfrentamento já bastante descentralizada. Essas pesquisas vão contribuir mais para a proteção de meninas e mulheres e a prevenção do crime”, destacou a secretária adjunta de Políticas para as Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, Márcia de Alencar Araújo.

O secretário do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, Gutemberg Gomes, completou: “A importância é, de fato, orientar a política pública para tomada de decisão”.

Assinaturas ocorreram em solenidade na Casa da Mulher Brasileira, nesta sexta-feira (6). Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília
Os projetos contemplados

O edital da FAP-DF voltado ao tema foi lançado em março deste ano. Seis propostas foram selecionadas:

Pela Universidade Católica de Brasília:
Violência (s) contra mulheres donas de casa: ausência de direitos e impactos na saúde mental

Pela Universidade de Brasília:
Identificação, Fortalecimento e Articulação das Iniciativas de Promoção dos Direitos Humanos das Meninas e Mulheres em Situação de Violência no Distrito Federal
Saúde Mental e Economia Solidária: possibilidades de inclusão social de mulheres vítimas de violência em um CAPS II
Escola de App: enfrentando a violência on-line contra meninas
Estudo sobre a prática pedagógica das Promotoras Legais Populares do Distrito Federal e Entorno no enfrentamento à violência contra mulheres e meninas
Mulher & Cidadania: desenvolvimento de tecnologia lúdico-educativa no enfrentamento da violência contra a mulher (Etapa 2 – Vidas Violetas: Um jogo em que as mulheres dão as cartas!)

A coordenadora do projeto Mulher e Cidadania, Maria Raquel Pires, explica que a ideia da pesquisa contemplada pelo edital FAP nasceu a partir de outro trabalho desenvolvido pela equipe da Faculdade de Ciência da Saúde da Universidade de Brasília.

“Em 2016, criamos o jogo de tabuleiro intitulado Jogo Violeta. Na ocasião, o trabalho foi focado para profissionais da rede de atendimento às vítimas de violência como uma estratégia pedagógica. Agora queremos estender a ideia para um projeto lúdico voltado à população”, conta Maria Raquel, professora adjunta da Faculdade de Ciências da Saúde da UnB e coordenadora do núcleo de pesquisa da universidade.

A nova proposta consiste em contar, por meio de um jogo de cartas, uma história para desmistificar os estereótipos que envolvem a violência contra a mulher. O tempo de concepção de cada projeto contemplado é de até dois anos.

Já o projeto coordenado pela professora de psicologia da Universidade Católica de Brasília Luciana da Silva Santos busca compreender o impacto da ausência de direitos de mulheres donas de casa.


“Vimos que esse público é invisível entre estudiosas de gênero e feministas. Então, nessa pesquisa, compreendi o quanto que ser dona de casa, o trabalho doméstico, a invisibilidade das atividades, não ter o empoderamento financeiro, comprometem com a saúde mental delas”Luciana da Silva Santos, professora da Universidade Católica de Brasília

Ela contou que o projeto surgiu com a tese de doutorado defendida por ela em 2014, na UnB.

“Vimos que esse público é invisível entre estudiosas de gênero e feministas. Então, nessa pesquisa, compreendi o quanto que ser dona de casa, o trabalho doméstico, a invisibilidade das atividades, não ter o empoderamento financeiro, comprometem com a saúde mental delas.”

Luciana destacou a importância e editais de pesquisa como esse. “Precisamos cada vez mais tanto dar visibilidade ao tema quanto das pesquisas e obviamente da ação posterior ao resultado. Não queremos só os dados, queremos efetivar o que a gente encontrar”.
Abordagem inédita em edital específico

De acordo com o diretor-presidente da FAP-DF, Wellington Almeida, a abordagem do tema em edital específico é novidade. “Além da temática em si do enfrentamento da violência, o edital tem uma importância fundamental recente para a FAP, porque nos ajudou a construir editais focados em política pública aplicada”, explicou.

Almeida explicou que, nesse modelo, são apresentados os problemas e desafiados os pesquisadores a dar caminhos e soluções para política. Ele adiantou que outros dois editais desse tipo serão lançados: um na área de segurança pública e outro na de meio ambiente.

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Thanks for sharing, nice post! Post really provice useful information!

    An Thái Sơn với website anthaison.vn chuyên sản phẩm máy đưa võng hay máy đưa võng tự động tốt cho bé là địa chỉ bán máy đưa võng giá rẻ tại TP.HCM và giúp bạn tìm máy đưa võng loại nào tốt hiện nay.

    ResponderExcluir