Últimas >>
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

segunda-feira, 30 de novembro de 2020

Saúde fará várias ações no DF nesta terça (1º/12)

Atividades serão nas UBSs e em locais com maior circulação de pessoas, como a Rodoviária do Plano Piloto
Agência Brasília

A Secretaria de Saúde inicia, nesta terça-feira (1º/12), a campanha Dezembro Vermelho com várias ações pelo Distrito Federal para orientar a população sobre a importância da prevenção da infecção pelo vírus HIV, causador da Aids, e do diagnóstico precoce para melhor qualidade de vida.

A campanha começa na data em que vários países comemoram o Dia Mundial da Luta Contra a Aids. Em parceria com a Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) e o Ministério da Saúde, a Secretaria de Saúde promove, na Rodoviária do Plano Piloto, a exposição “Indetectável – o efeito de estar indetectável em cada uma dessas vidas é detectável: basta olhar nos olhos delas para ver”.

Cedida pelo Ministério da Saúde, a exposição Indetectável é composta por fotos, relatos e histórias de vida de 13 pessoas que estão com vírus HIV indetectável no organismo. São registros sensíveis, partilhados voluntariamente, que contam sobre o tratamento e a luta contra o estigma; os medos e angústias, as conquistas e motivações.

Estar indetectável significa estar com a doença controlada, sem sinal de adoecimento e sem transmissão do vírus por via sexual. Isso é possível graças ao uso regular de medicamentos antirretrovirais, o que permite a recuperação do sistema imunológico. A mostra Indetectável ficará na Estação Central até sexta-feira, 4 de dezembro.

No mesmo local, o Núcleo de Testagem e Aconselhamento (NTA), fará a distribuição de autoteste de HIV, preservativos e orientação sobre prevenção das infecções sexualmente transmissíveis (ISTs). Os testes serão distribuídos, mas não realizados no local, para evitar aglomeração.

Ações em todo o DF

Cada região de saúde preparou ações durante o Dia Mundial da Luta Contra a Aids (veja quadros abaixo). Na Região Centro-Sul, trabalhadores e frequentadores da Feira Permanente do Riacho Fundo I receberão orientações sobre prevenção, assistência e proteção contra o HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis. Uma equipe de Saúde da Família da UBS 1 será responsável pelos trabalhos que ocorrerão das 10h às 14h.

“Reforçamos a importância da testagem rápida para infecções sexualmente transmissíveis como parte da rotina de cuidados. Iremos oferecer testes durante a ação na Feira Permanente e em todas as UBSs”, afirma a superintendente da Região de Saúde Centro-Sul, Flávia Costa. A gestora observa que as ações fora das UBSs “possibilitam acesso à testagem por pessoas que não têm tempo de ir nas unidades”.

Os casos positivos detectados durante as ações receberão direcionamento para tratamento específico em um Serviço de Atendimento Especializado (SAE) em HIV/Aids. Nos SAEs são feitos outros exames complementares para averiguar a situação de saúde e o estágio da infecção para estabelecer o tratamento adequado com os antirretrovirais e outros medicamentos indicados, quando necessário.

Ao todo, são oito unidades públicas de saúde especializadas: Hospital Dia (508 Sul), ambulatórios dos hospitais regionais de Sobradinho, Ceilândia e Universitário de Brasília e as policlínicas de Taguatinga, Lago Sul, Planaltina e Gama.

Dia Mundial de Luta Contra a Aids

A instituição desse dia foi uma decisão da Assembleia Mundial de Saúde, em outubro de 1987, com apoio da Organização das Nações Unidas (ONU). No Brasil, a data passou a ser adotada, a partir de 1988, por uma portaria assinada pelo Ministério da Saúde.

Embora ações de conscientização já ocorressem no Brasil (e no mundo), o Dezembro Vermelho não era oficialmente reconhecido, até que em 7 de novembro de 2017 foi publicada no Diário Oficial da União a Lei que instituiu a campanha.

Segundo o Ministério da Saúde, estima-se que 866 mil pessoas vivem com a patologia no Brasil. Contudo, ser portador do vírus HIV não é o mesmo que possuir Aids.

Muitos indivíduos soropositivos vivem durante anos sem desenvolver a doença, mas podem transmitir a outras pessoas, principalmente por meio de relações sexuais desprotegidas, bem como por meio não sexual, mediante o compartilhamento de seringas contaminadas ou até mesmo de mãe para filho durante a gestação ou amamentação.

*Com informações da Secretaria de Saúde

sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Taxa de ocupação de leitos de UTI no DF voltam a diminuir, diz Secretaria de Saúde

 

Secretaria de Saúde reduz espera por leitos de UTI

A pasta informa que nesta quinta-feira (26) havia 27 pacientes na fila de espera, em abril e maio do ano passado, por exemplo, este número chegou a mais de 160 pacientes

Não que os casos de covid-19 no Distrito Federal tenham diminuído significativamente, mas a forma como se tem administrado tanto a doença quanto os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), fizeram que a fila de espera por um leito de UTI na capital federal caísse. Que assegura essa informação é a Secretaria de Saúde do DF (SES-DF) que, através do Complexo Regulador de Saúde do Distrito Federal registrou o número de 27 pacientes aguardando uma vaga em UTI nesta última quinta-feira (26). Em abril e maio do ano passado, por exemplo, este número chegou a mais de 160 pacientes.

A notícia é importante porque nos momentos mais críticos de casos e mortes por covid-19, em meados deste ano, a taxa de ocupação de UTI, tanto na rede pública quanto na privada, ultrapassou os 90%. Agora, inicia-se uma queda, mas, de acordo com a SES-DF, o número de pacientes nessa fila oscila diariamente, tendo em vista a alta demanda e os procedimentos para liberação de leitos.


Lista chegou a ter em abril e maio de 2019 seis vezes mais pacientes que os 27 registrados atualmente

“Estamos seguindo a orientação do governador Ibaneis para que a fila de espera de UTI seja reduzida e os pacientes possam a ser atendidos em um prazo mais curto de tempo”, garante o secretário do DF, Osnei Okumoto.

O surgimento de novas vagas de UTI começou em outubro, quando a SES-DF iniciou um processo de desmobilização de leitos para atender pacientes com covid-19 e outras patologias, o que permitiu uma melhor distribuição dos leitos.

“Temos que trabalhar para que o paciente seja atendido, da sua solicitação ao seu direcionamento ao leito, no prazo de 24 horas. Sabemos que isso é difícil porque existem leitos que são muito estratégicos e escassos com perfis coronariano (cardíaco), de neuro e trauma, que são específicos do Hospital de Base”, explica O secretário-adjunto de Assistência da SES, Petrus Sanchez.

Fonte: Blog Ulhoa

Candidatos com Covid-19 terão nova chance de fazer o Enem 2020


Outras doenças infectocontagiosas também permitem que o participante solicite uma reaplicação. Saiba mais.

Os candidatos do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) de 2020 que forem diagnosticados com a Covid-19 ou outra doença infectocontagiosa e não puderem fazer a prova vão ter uma nova chance de fazer a avaliação. A informação é de Camilo Mussi, presidente do Inep. 

A orientação é que a pessoa comunique que está com a doença até um dia antes da data da prova, ligando para a central de atendimento do Inep (0800 616161). Após o exame, o candidato também deverá registrar o problema anexando laudo médico na Página do Participante
Aqueles casos que forem deferidos pelo órgão vão poder participar de uma reaplicação do Enem nos dias 23 e 24 de fevereiro, mesma data em que as pessoas privadas de liberdade vão fazer o exame. 

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), o Enem será aplicado nos dias 17 e 24 de janeiro para quem fazer fazer as provas impressas. Já a prova digital ocorre em 31 de janeiro e 7 de fevereiro. 

Fonte: Brasil 61

Multas para quem ignorar medidas de segurança



Mais rigor na fiscalização: quem insistir em descumprir os protocolos será penalizado | Foto: Divulgação/DF Legal

DF legal intensifica a fiscalização, já neste fim de semana, para garantir que todos adotem protocolos de saúde.
Agência Brasília

A Secretaria de Proteção da Ordem Urbanística (DF Legal) intensificará a adoção de punições para quem desrespeitar as normas sanitárias de combate à Covid-19. O objetivo é reduzir de forma drástica as denúncias de desrespeito aos protocolos determinados pelo Governo do Distrito Federal, especialmente em estabelecimentos como bares e restaurantes.

Com o relaxamento das medidas de restrição em bares e restaurantes, a liberação de música ao vivo e o fim do limite de pessoas por mesa, muitos estabelecimentos e seus frequentadores têm descumprido as normas para o funcionamento. No entanto, os protocolos de saúde contra a contaminação do coronavírus ainda estão em vigor – e quem insistir em descumpri-los será multado.

“A partir deste final de semana, estaremos fazendo uma fiscalização mais rígida com a aplicação de multas e, quando necessário a interdição do local”, avisa o titular da DF Legal, Cristiano Mangueira. “Precisamos destacar que a pandemia não acabou e os índices de contaminação podem voltar a subir, prejudicando a todos.”
“Precisamos destacar que a pandemia não acabou e os índices de contaminação podem voltar a subir, prejudicando a todos”Cristiano Mangueira, secretário de Proteção da Ordem Urbanística (DF Legal)

Continua obrigatório o uso de máscaras quando o cliente não estiver sentado em sua mesa, sendo proibida a circulação pelo ambiente quando não for, por exemplo, para ir ao banheiro. Boates, casas de shows e similares ainda estão proibidos de funcionar, por causa da grande circulação de pessoas e o contato entre os presentes. A regra também vale para os estabelecimentos que estão autorizados a abrir.

Regras para todos

Todos os estabelecimentos, conforme determinado pelo governo nos decretos 40.939/2020 e 40.468/2020, são obrigados a cobrar o uso de máscara tanto de seus clientes quanto de funcionários, aferir a temperatura, ofertar álcool gel, higienizar todo o ambiente entre os atendimentos, ter cardápios de fácil limpeza e manter distanciamento entre as mesas de dois metros, com ocupação máxima de 50% do espaço.

A multa para o estabelecimento que descumprir essas normas é de R$ 3.628. Para aqueles que não cobrarem de funcionários e clientes o uso de máscara, o valor é de R$ 4 mil. Já os clientes que forem flagrados sem o item de proteção serão multados em R$ 2 mil.
R$ 2 milé o valor da multa a ser paga por clientes que não usarem máscara

Números

De 23 de março ao dia 22 deste mês, a DF Legal empreendeu 538.667 vistorias ao comércio. Durante as operações, 24.273 estabelecimentos foram fechados compulsoriamente, 1.652 precisaram ser interditados e 386 receberam multas.
24.273estabelecimentos foram fechados, desde o início da pandemia, por não cumprirem as medidas

Sobre o uso de itens de proteção, mais de 82 mil pessoas foram abordadas no mesmo período, e quase 240 mil máscaras foram distribuídas. Nesse universo, 165 pessoas receberam multa por se recusarem a usar o item.

* Com informações do DF Legal

quinta-feira, 26 de novembro de 2020

Emprego: Comércio, saúde, construção e serviços buscam profissionais no DF

Vagas oferecidas nas agências do trabalhador contemplam 65 ofícios

Dez vagas para mecânicos, 18 para motoristas e cinco para motofretistas são algumas das 671 oportunidades de emprego oferecidas nas agências do trabalhador do Distrito Federal, nesta quinta-feira (26). Quem deseja se recolocar no mercado de trabalho, ainda pode candidatar-se em profissões nas áreas de comércio, saúde, construção civil e serviços.

O melhor salário do dia, no valor de R$ 3,5 mil, mais benefícios, é oferecido na única vaga para gerente de vendas. Para concorrer, é preciso ter experiência na área e ensino médio completo. Outras duas profissões pagam salários próximos desse valor: laboratorista de concreto (2), no valor de R$ 3 mil, e motorista carreteiro (6), de R$ 2,9 mil. Para ambos, basta ter ensino fundamental.

Oito profissões oferecem remuneração por dia trabalhado. São duas vagas para consultor de vendas (R$ 40), duas para cozinheiro (R$ 300), uma para encarregado de obras (R$ 13,64), uma para motofretista (R$ 45), três para operador de telemarketing especializado, nas áreas de estatística, recursos humanos e comunicação social (R$ 23,07), cinco vagas para pedreiros (R$ 150), duas para serralheiros (R$ 150) e duas para serventes de obra (R$ 90).

Supermercados

Supermercados também estão contratando. Buscam empacotadores (7), gerentes (2), operadores de caixa (6) e repositores de mercadorias (24). Os salários oferecidos ficam entre R$ 1.048 e R$ 1,5 mil, mais benefícios.

Os interessados em concorrer a qualquer uma das vagas devem ir a uma das 15 agências do trabalhador em funcionamento no DF, ou baixar o aplicativo Sine Fácil que, em virtude da pandemia de Covid-19, também disponibiliza o serviço.

Empreendedores que desejam buscar profissionais também podem utilizar os serviços das agências do trabalhador. Além do cadastro de vagas, é possível usar os espaços físicos para seleção dos candidatos encaminhados. Para isso, basta acessar o site da Secretaria do Trabalho e preencher o formulário na aba empregador.

Fonte: Política Distrital



imagem-logo