Últimas >>
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Mais de 20% do DF não tem ensino fundamental completo, diz IBGE

Foto: Myke Sena/Jornal de Brasília
Cerca de 60 mil pessoas com mais de 15 anos não sabem ler e escrever. Iniciativas sociais tentam suavizar dados.

Ensino fundamental completo. Essa formação básica não está no currículo de mais de 20% da população do DF acima dos 14 anos, segundo Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD Contínua, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mesmo com projetos sociais e programas de inserção educacional, 2,5% da população ou mais de 60 mil acima dos 15 anos, não sabe ler ou escrever. Entre essas pessoas, por volta de 37 mil idosos encontram-se na mesma situação. Os dados comparam com a realidade encontrada em 2016.

O responsável pela pesquisa, Pedro Franco, da Supervisão de Documentação e Disseminação de Informações (SDI-DF) do IBGE, acredita que o nível de produção no País diminui com o abandono dos estudos. “É terrível, porque além de prejudicar o próprio estudante, prejudica a produtividade no Brasil, que é pouco qualificada. É uma pena, porque as empresas não contratam essas pessoas”, lamenta o supervisor.

Ainda na visão de Pedro, as pessoas quererem trabalhar mas não possuem oportunidade, porque a partir dos 18 anos deveriam estar na faculdade e passar numa universidade pública. “O número de estudantes dados como negros e pardos, mesmo, caiu bastante, de 42,4% para 35,8% em comparação com o ano passado. Já no caso de pessoas consideradas brancas, foi de 50,4% para 56,3%. Isso acontece porque a população carente acaba tendo que desembolsar dinheiro para faculdades particulares”, complementa.

Na visão do gerente de Políticas Educacionais para a Educação Infantil e Ensino Fundamental da Subsecretaria de Educação Básica (SUBEB), Radson Lima Vilaverde, 31 anos, os estudantes integrados ao Programa para Avanço das Aprendizagens Escolares (PAAE) possuem algumas causas determinantes para o abandono da escola. “O principal fator é oportunidade no mercado de trabalho. Também como, cuidar da família, gravidez na adolescência, desinteresse do próprio estudante e morar longe da escola”, explica o gerente.

O programa é vigente desde 2016, com cinco mil alunos integrados. Caso um estudante largar o ensino pelo Programa, o direcionamento é outro. “Quando o estudante abandona os estudos, ele estando além da idade, não volta para um centro regular de ensino, mas sim para a Educação de Jovens e Adultos (EJA)”, relata. Mas apenas a pessoa que tem mais de 16 anos e cursou até o 5º ano do Ensino Fundamental pode participar do EJA.

Auxílio necessário

O Alfabetização Cidadã é outra forma de levar conhecimento para quem precisa. Criado há 25 anos pela Universidade Católica de Brasília (UCB), é um projeto social filantrópico, que atende pessoas com idade acima de dezoito anos sem alfabetização, com vulnerabilidade social, sem apoio para iniciar ou dar continuidade à vida acadêmica. A coordenadora do projeto, Carla Cristie de Franca Silva, 40 anos, se orgulha ao dizer que o projeto social ajuda cerca de 250 pessoas no DF a retomarem a vida convencional.

“A gente parte do sonho de cada um. Uma senhora, por exemplo, queria aprender a ler a bíblia, e conseguiu por meio do nosso curso. Outro senhor que era taxista, se formou pelo EJA, e voltou para a faculdade. Por sinal, ano passado, ele se formou em letras aqui”, comemora. O curso não tem uma grade curricular, mas atende a necessidade de cada caso.

Além da universidade, as cidades do Areal, Samambaia Sul e Norte, Riacho Fundo II, Varjão, Recanto das Emas e Brazlândia, também participam da iniciativa, que completa esse ano 25 anos. “A pessoa fica à margem da sociedade, distante de tudo que a vida disponibiliza. Esse curso é uma forma de contribuir minimamente com esse público, mesmo nós não sendo parte do Governo”, finaliza.

Acima da média nacional

Dos quase 280 mil estudantes matriculados no ensino fundamental, em torno de 20% tiveram defasagem. Sendo assim, mais de 60 mil estudantes foram extraídos do centro escolar, de acordo com a . Após queda de 0,9%, em comparação com 2016, teve média de 29,4%, maior que os 27,3% registrados pela média nacional, segundo o IBGE.

O tempo de estudo de pessoas com mais de 60 anos de idade é pouco. São 8,7 anos de ensino. Se comparados a pessoas entre 25 e 39 anos, que ficaram cerca de 12,6 anos indo a escola, a diferença é preocupante.

Pedro Marra
Especial para o Jornal de Brasília

Feirão Caixa da Casa Própria começa hoje em mais cinco cidades

O Feirão Caixa da Casa Própria 2018 recomeça hoje (18), às 10h, em Belo Horizonte, no Rio de Janeiro, em Uberlândia (MG), Goiânia e São Luís. Até domingo (20), serão ofertados 58.123 imóveis entre novos e usados.

Em Belo Horizonte, o evento será realizado nos Pavilhões I e II da Expominas, com 61 parceiros da Caixa e 14.472 imóveis ofertados. No Centro de Convenções de Goiânia estarão à venda 6.663 habitações, oferecidas por 67 parceiros. No Rio de Janeiro, o evento será no Pavilhão II do Riocentro, contando com 64 parceiros e 15.188 imóveis à venda.

O Pavilhão Multicenter do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) abrigará o feirão da capital do Maranhão. Estarão à venda em São Luís 7.800 imóveis, com a participação de 31 parceiros. Em Uberlândia (MG), o evento acontecerá no Center Convention, com 49 parceiros ofertando 14 mil imóveis.

No feirão, o visitante pode encontrar um imóvel, simular o valor da prestação e assinar o contrato de financiamento. Ao todo, o feirão vai reunir 1.600 empregados do banco, 422 correspondentes imobiliários, 559 construtoras e 124 imobiliárias para oferecer 179 mil imóveis novos e 23 mil usados.

Para solicitar crédito no Feirão Caixa, o interessado deve levar o documento de identidade, o CPF e os comprovantes de renda e de residência atualizados. A aprovação do crédito é baseada nas informações do perfil do cliente, como renda, capacidade de pagamento e ausência de restrições cadastrais. Os interessados também podem obter informações em todas as agências da Caixa, nosite www.caixa.gov.br ou pelo Serviço de Atendimento ao Cliente (0800 726 0101), disponível 24 horas, inclusive nos fins de semana.

Na primeira semana do feirão, foram movimentados cerca de R$ 4,4 bilhões. De 4 a 6 de maio, o evento recebeu 62.515 visitantes nas cidades de São Paulo, Porto Alegre e Salvador. Foram encaminhados 22.538 contratos para concessão de crédito.

A última semana do Feirão Caixa acontecerá de 25 a 27 de maio em Brasília, Belém, Campinas, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza e no Recife.

OMS pode declarar surto de ebola como emergência internacional

A Organização Mundial da Saúde (OMS) deve decidir hoje (18) se declara o surto de ebola identificado na República Democrática do Congo uma emergência em saúde pública de interesse internacional. A reunião foi convocada pelo diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus, que manifestou preocupação diante do cenário registrado no país africano.

“Baseado na atual situação e nas informações disponíveis, o diretor-geral da OMS vai convocar uma reunião de emergência sob o Regulamento Sanitário Internacional na sexta-feira para definir se o atual surto constitui uma emergência em saúde pública de interesse internacional”, informou a entidade por meio de nota.

Desde o início da semana, mais cinco casos de ebola foram notificados na República Democrática do Congo, incluindo um caso confirmado laboratorialmente em Bandaka. A cidade tem uma população de cerca de 1,5 milhão de habitantes e é motivo de grande preocupação por parte de organismos internacionais que acompanham o surto.

O país registra, ao todo, 44 casos notificados de ebola, incluindo 23 mortes. Entre os casos, três foram confirmados, 20 são considerados casos prováveis e 21, casos suspeitos. Desde a última terça-feira (15), 527 pessoas que tiveram contato direto com pacientes infectados ou sob suspeita de infecção pelo vírus foram identificados e estão sendo monitorados.

“Informações sobre a extensão do surto ainda são limitadas e as investigações estão em progresso. O caso confirmado em Bandaka, grande centro urbano localizado ao longo de um rio de porte nacional e internacional, estradas e rotas de voo doméstico, aumenta o risco de disseminação na República Democrática do Congo e em países vizinhos. A OMS revisou a avaliação de risco para a saúde pública como muito alta em nível nacional e alta em nível regional. O risco global permanece baixo. Na medida em que mais informações forem chegando, a avaliação de risco será revista.”

CEU das Artes está com inscrições abertas para 33 cursos gratuitos

Resultado de imagem para ceu das artes ceilandiaInteressados devem comparecer ao local, na QNM 28, das 8 às 18 horas

O Centro de Artes e Esportes Unificado (CEU das Artes) de Ceilândia está com inscrições abertas para 33 oficinas, cursinho pré-vestibular, atividades para idosos e adolescentes a partir de 13 anos.

As modalidades são:
Arte e reciclagem
Arte e reciclagem 3ª idade
Artesanato
Capoeira
Capoterapia
Corte e maquiagem
Crochê
Dança charme
Desenho em quadrinhos
Escolinha de futsal
Funcional 220v
Funcional hit
Funcional kids
Futsal
Fotografia
Ginástica nas quadras
Ginástica 3ª idade
Guarda Mirim
Hip-hop/dança
Informática Google
Informática básica
Informática intermediária
Kendo
Maquiagem
Moda
Muay thay
Pesquisa digital
Pré-vestibular
Refrigeração
Taekewondo
Teatro
Teatro-adultos
Voleibol

Os interessados devem comparecer ao CEU, das 8 às 18 horas, com os documentos pessoais. No local (QNM 28, Área Especial), serão preenchidas as fichas de cadastro com a opção escolhida.

Gratuitas, as atividades serão ministradas no centro e abertas à comunidade. Entre elas há duas específicas para a terceira idade: capoterapia e arte e reciclagem.

Para jovens acima de 16 anos, há 60 vagas em duas turmas para o pré-vestibular. As aulas ocorrerão aos sábados, das 8 às 10 horas e das 10 às 12 horas.
O que é o CEU das Artes

O equipamento público recém-inaugurado em Ceilândia foi entregue à população em 28 de abril. É o maior CEU do Brasil, com 7 mil metros quadrados, duas salas multiuso, três salas para atendimento do centro de referência em assistência social (Cras), área de ginástica, biblioteca e laboratório digital, cinemateca, estacionamento, parquinho, sala de coordenação, pista de skate, quadra de areia e poliesportiva.



imagem-logo