Últimas >>
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Mapa das bacias hidrográficas do Distrito Federal é lançado

Em escala de um centímetro para cada 1,15 quilômetros, rios, riachos, ribeirões e córregos de Brasília são detalhados como fonte oficial dos órgãos do governo local.

O mapa hidrográfico oficial do Distrito Federal foi lançado, nesta quinta-feira (8), em solenidade no Jardim Botânico de Brasília. Impresso na escala de um centímetro para cada 1,15 quilômetro, ele detalha os rios, riachos, ribeirões e córregos que abastecem as oito bacias do território.O secretário do Meio Ambiente, André Lima apresenta o mapa das bacias hidrográficas do DF. Foto: Andre Borges/Agência Brasília

Por meio da Resolução nº 2 de 2015, o Conselho de Recursos Hídricos do Distrito Federal aprovou o uso de uma base hidrográfica comum a todos os órgãos do Executivo local. Segundo o secretário do Meio Ambiente, André Lima, o mapeamento oficializado facilita a gestão da água em Brasília.

A Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa-DF), a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), o Instituto Brasília Ambiental (Ibram) e a Secretaria de Gestão do Território e Habitação participaram da formulação do mapa.
"Foi feito um resgate histórico para adquirir as nomenclaturas corretas dos rios e lagos de Brasília"Maria Sílvia Rossi, subsecretária de Planejamento Ambiental e Monitoramento

Para que as pastas tenham as mesmas informações, 2,5 mil cópias foram impressas para serem distribuídas entre elas. A versão digital será fornecida no site da Secretaria do Meio Ambiente, que organizou o mapeamento.

Durante o evento, a subsecretária de Planejamento Ambiental e Monitoramento da pasta, Maria Sílvia Rossi, explicou que o mapa foi aprovado pelo Conselho de Recursos Hídricos do DF e detalhou como ele foi organizado. “Foi feito um resgate histórico para adquirir as nomenclaturas corretas dos rios e lagos de Brasília”.

Ela também agradeceu à equipe do Zoneamento Ecológico-Econômico, que coordenou a pesquisa.
Cirat muda de espaço dentro do Jardim Zoológico

Na cerimônia, também foi oficializada a mudança do Centro Internacional de Referência e Transdisciplinaridade (Cirat) do escritório onde funciona, no Centro de Excelência do Cerrado (Cerratenses), para a antiga sede da organização não governamental WWF Brasil.


LEIA TAMBÉM



CONSELHO APROVA BASE CARTOGRÁFICA PARA ELABORAR MAPA OFICIAL DA HIDROGRAFIA DO DF


JARDIM BOTÂNICO ABRIGA CENTRO DE ESTUDO SOBRE RECURSOS HÍDRICOS

A nova localização foi cedida porque a Ong se mudará para um prédio no Lago Norte, e o patrimônio só poderia ser passado para outra organização que trabalhe com o meio ambiente.

O diretor-executivo do Jardim Botânico, Jeanitto Gentilini, também falou sobre o espaço. “O parque tem 4,5 mil hectares disponíveis para estudar o viés das águas. Com uma localização própria separada do Cerratenses, o Cirat terá mais acesso para as nascentes”, observou.

O Cirat surgiu em 2009 para desenvolver pesquisas sobre recursos hídricos, mas a criação foi oficializada apenas em maio do ano passado, por meio de publicação no Diário Oficial do DF. Ele funciona com doações de organismos nacionais e do exterior, e com premiações em dinheiro para projetos.

O centro reúne pesquisadores de nove órgãos do governo de Brasília: Secretarias do Meio Ambiente, de Saúde, de Cultura e da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, além de Caesb, Adasa, Ibram e Jardim Botânico de Brasília.

Nenhum comentário:

Postar um comentário



imagem-logo