Últimas >>
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

sábado, 17 de setembro de 2016

12 filmes disputam o Troféu Câmara Legislativa e R$ 200 mil em prêmios

John Howard Szerman dirigiu o melhor longa de 2015

Doze filmes produzidos no Distrito Federal disputam o 21º Troféu Câmara Legislativa, concorrendo a R$ 200 mil em prêmios, a partir dos próximos dias 24 (sábado) e 25 (domingo). Os filmes serão exibidos na Mostra Brasília e integram a programação oficial do 49º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, que acontece de 20 a 27 de setembro, no Cine Brasília. Os títulos serão reprisados nos dias 26 e 27, no auditório da Câmara Legislativa.

Este ano a premiação completa a importante marca de 21 anos ininterruptos de reconhecimento à produção cinematográfica local. Ao longo deste tempo, o regulamento e as categorias de premiação foram sendo aprimorados, a partir de um diálogo com os produtores do DF. A premiação agora conta com 11 categorias no Júri Oficial e mais dois ganhadores de acordo com a votação do Júri Popular.

A 21ª edição do Troféu recebeu 57 inscrições. Uma comissão de seleção formada por cinco especialistas escolheu seis longas e seis curtas para serem exibidos e disputarem os prêmios.

A Mostra Brasília, que exibirá os filmes produzidos no Distrito Federal que concorrem ao 21º Troféu Câmara Legislativa, acontecerá nos dias 24 e 25 deste mês (sábado e domingo), no Cine Brasília. A Mostra faz parte da programação do 49º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, que acontecerá entre os dias 20 e 27 de setembro. No sábado (24) e no domingo (25), os filmes serão exibidos no Cine Brasília em sessões às 11h, 14h e 16h30.

A Mostra Brasília vem se consolidando ao longo das últimas edições do Festival de Cinema como um dos pontos fortes do certame. Um público apaixonado acompanha as sessões lotadas do Cine Brasília, reforçando a importância do reconhecimento à produção cinematográfica local. Outra característica do público da Mostra é o vínculo com as produções em exibição, que reúne participantes, familiares e amigos dos realizadores.

O Júri Oficial, que escolherá os ganhadores em 11 categorias, é formado pela atriz, cantora, produtora e apresentadora com destacada carreira no teatro, no cinema e na televisão, Maria Ceiça, do Rio de Janeiro; Paulo Moraes, do DF, professor de Direção e Roteiro do curso de Fotografia e Cinema do IESB, formado em Artes Cênicas pela Faculdade Dulcina de Morais e mestre em Educação pela UnB, e Marcelo Lyra, de São Paulo, formado em jornalismo pela PUC-SP, que atuou como crítico de cinema no jornal O Estado de São Paulo e no Jornal da Tarde e é colaborador de publicações na área de cinema.

Vencedores - O anúncio dos vencedores acontecerá na solenidade de premiação do Festival de Cinema de Brasília, em 27 de setembro, a partir das 19h, também no Cine Brasília. No ano passado, o grande vencedor do Troféu Câmara foi o filme "Santoro, o Homem e sua Música", de John Howard Szerman, que conta a trajetória do maestro Cláudio Santoro, e levou os prêmios do júri oficial nas categorias "Melhor Longa", "Melhor Direção" e "Melhor Trilha Sonora". Confira aqui todos os ganhadores de 2015.

A premiação também consagrou "O outro lado do paraíso", de André Ristum, que levou os prêmios de melhor ator, para Davi Galdeano, melhor atriz, Simone Iliescu, roteiro, direção de arte, edição de som e captação de som direto. O filme conta a história de Antônio, um idealista sonhador, que se muda com toda a família para a recém-inaugurada Brasília em busca de ascensão social.

Dentre os 14 curtas que concorreram ao prêmio do júri oficial, o vencedor foi "A Culpa é da Foto", de André Dusek, Eraldo Peres e Joedson Alves. O filme traz depoimentos de fotógrafos que ousaram protestar na rampa do Palácio do Planalto, em uma terça-feira de 1984, em pleno governo do general João Baptista de Figueiredo. O prêmio de melhor fotografia foi para um curta, "Escuro do Medo", de Lelo Santos. O júri popular escolheu "O outro lado do Paraíso" como melhor filme de longa-metragem e "Ninguém nasce no Paraíso (matriz proibida)", de Alan Schvarsberg, como melhor curta-metragem.

História - O Troféu Câmara Legislativa foi criado em 1996 para reconhecer e premiar cineastas locais e incentivar jovens realizadores na área do audiovisual. A criação do Troféu atendeu a uma antiga reivindicação dos produtores locais, que reclamavam da falta de espaço no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro para exibição dos filmes feitos no DF.

A demanda sensibilizou alguns distritais que defendiam a produção cultural no Legislativo local. O então deputado distrital Geraldo Magela (PT) apresentou o projeto de resolução nº 70/1996, que instituía "o Troféu Câmara Legislativa do Distrito Federal para os melhores filmes rodados no Distrito Federal e inscritos no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro".

A proposta foi aprovada por unanimidade pela Câmara Legislativa em 1º de outubro de 1996 e se transformou na Resolução nº 117/1996, promulgada e publicada no Diário da Câmara Legislativa de 2 de outubro do mesmo ano. Com o passar dos anos, foi necessária a atualização das regras do Troféu.

Em 2000, a Câmara Legislativa aprovou a Resolução nº 163/2000, com um novo regulamento para a competição, a partir de projeto apresentado pela Mesa Diretora da Casa. E em 2010, novas inovações e regras foram criadas pela Resolução nº 246/2010, originária de projeto também da Mesa Diretora. Outras modificações no regulamento e na premiação foram feitas em 2011 (Resolução nº 252/2011), 2012 (Resolução nº 259/2012) e 2013 (Resolução nº 265/2013).

Nenhum comentário:

Postar um comentário



imagem-logo