Últimas >>
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

terça-feira, 14 de junho de 2016

Asvecom em parceria com Embaixada da Coreia, começa a publicação de uma serie de artigos para conhecer melhor a cultura desse país

2º ARTIGO - "Kim Il Sung, o grande homem do século" 

A história da humanidade conhece muitos homens célebres, mas nenhum deles como Kim Il Sung (1912-1994), que segue desfrutando da admiração e do respeito de todos os povos do mundo. 

Kim Il Sung, eterno Presidente da República Popular Democrática da Corea, autor da idéia Juche, que ilumina o caminho a seguir pela humanidad, foi um pioneiro e orientador da era da independencia. 

Aos dez anos de idade, nos primeiros días de sua luta pela liberdade e emancipação do país da ocupação militar do japão (1905-1945), concebeu a idéia Juche, a de que a revolução e sua construção pertencem às massas populares e a força que as impulsionam também, isto é, o dono do destino de um é o mesmo do outro e que a força que produz são iguais, o que se tornou um grande evento histórico que indicou um verdadeiro caminho para moldar o destino para as massas trabalhadoras oprimidas do mundo inteiro que, outrora, foram objeto de agressão, saques, do dominio e subjugação do imperialismo. 

Com a consciência de que o dono da revolução coreana são os próprios revolucionários coreanos e que ninguém lhes daria de presente a independência do país, ciente de que só o apoio da força da própria nação traria esta independência, ele liderou uma guerra contra as hostes japonesas de um milhão de soldados e finalmente alcançou a histórica libertação nacional (15 de agosto de 1945). 

Após a libertação, dentro dos princípios constantes da independência, apresentou uma linha de construção adequada à realidade do país e dos interesses do povo. Estabeleceu um estado verdadeiramente popular onde as massas são donas de tudo e tudo está à sua disposição. Se valendo do poder ilimitado da ideia Juche, derrotou agressores armados de 16 países liderados pelos imperialistas norte-americanos, que se gabavam de sua "supremacia" no mundo e alcançou grande vitória na Guerra de Liberdade da Pátria (1950-1953).

Apesar dos Estados Unidos festejassem que a Coreia do Norte não se recuperaria nem em 100 anos dos escombros da guerra, Kim Il Sung levantou um poderoso país socialista, soberano, independente e autossuficiente em sua defesa. 

A idéia Juche, cuja veracidade, cientificidade, validade e vitalidade foi comprovada pela realidade na Coreia, chamou a atenção da comunidade internacional e foi propagada ao longo dos cinco continentes. Foi o que despertou a humanidade de uma letargia de vários milênios, abriu uma nova era de liberdade na história e iniciou uma impetuosa corrente de busca pela independência no mundo inteiro. 

Kim Il Sung era um político eminente e veterano mundial, que ao longo de sua vida guiou a realização da causa da liberdade da humanidade sob a bandeira do anti-imperialismo e da independência. Mesmo em turbilhões políticos do mundo, sem qualquer hesitação e mantendo com firmeza a independência, ele levou a causa anti-imperialista e a independência dos povos do mundo à vitória. 

Quando no Kremlin se arriou a bandeira do socialismo que tremulava por 70 anos e em vários países o socialismo sofria frustração e contratempos, Kim Il Sung determinou que o seu país continuasse socialista e encorajou os povos progressistas do mundo a avançar constantemente pelo caminho da independência. 

Kim Il Sung era um verdadeiro internacionalista. 

Nos dias das lutas contra os japoneses fez com que os combatentes coreanos ajudassem na revolução chinesa, com o risco de vida e defenderam com suas armas a antiga União Soviética. Durante a crise dos mísseis em Cuba na década de 1960 ele estava na linha da frente para apoiar a revolução cubana na arena internacional. E no Incidente do "Golfo de Tonkin”, ajudou ativamente na resistência do povo vietnamita contra os norte americanos. 

Na década de 1970, quando o Movimento dos Países Não-Alinhados enfrentou a crise devido às manobras imperialistas para desarticula-los, ele se reuniu com o presidente Tito da Jugoslávia e lhe falou sobre os princípios fundamentais e as maneiras de fortalecer e desenvolver o movimento. E em todas as fases do desenvolvimento histórico, ele apresentou estratégias para alcançar a vitória da causa anti-imperialista e independência do mundo, para que, apesar das dificuldades, a causa da independência da humanidade, sem hesitar, continuasse avançando em sua órbita. 

“O único homem que pode levar a revolução mundial é você, camarada Presidente Kim Il Sung. Eu desejo de coração que continue guiando a revolução mundial e o movimento comunista internacional”, disse o Presidente Mao Zedong, nos últimos dias da sua vida. 

Fidel Castro Ruz, de Cuba, afirmou que Kim Il Sung era o mais experiente e prestigiado entre os chefe de estado do mundo. 

Kim Il Sung era um grande homem sem igual que, com suas virtudes nobres comoveu o mundo. 

Seus gestos infinitamente nobres e sua efervescente humanidade foram sustentados na sua mais sagrada visão de apego ao homem. Suas memórias são como os livros sagrados de amor do homem. Em seu livro de memórias “No Transcorrer do Século” escreveu: “Eu reverencio algo como se fosse um Deus. E este algo é o povo. Eu aprecio o povo como se fosse o céu e o venero como um deus. Meu Deus não é outro senão o povo. No mundo não existem seres que são tão inteligentes e onipotentes como as massas. Por isso, eu tenho como um credo de toda a minha vida: "considerar o povo como o céu”.” 

O evangelista americano Billy Graham, que havia visitado a Coreia, disse: Na Coréia, eu não senti de forma alguma a necessidade de pregar o evangelho. A Bíblia contém uma intenção de Deus de que todos os seres humanos devem se amar. E a Coréia do Norte prega o amor aos seres humanos como política de Estado. O Estado é responsável pela assistência médica e educação gratuita, roupas, alimentos e habitação, este é a politica apresentada e praticada pelo presidente Kim Il Sung, que considera o povo como o céu. O povo coreano o enaltece como Deus. De que vai valer a Bíblia neste país? 

A humanidade fervorosa e a ilimitada magnanimidade de Kim Il Sung não foram apenas para o povo coreano, mas também para todas as pessoas do mundo, acima de nacionalidade, cidadania, crenças religiosas e opiniões políticas. Graças às medidas tomadas por ele, Bruno Kreisky, chanceler da Áustria, que estava à beira de ser paraplégico, pode caminhar nesta terra e Emile Tompapa, ex-diretor da estação de rádio da Guiné, Vishwanath da Índia e muitos outros estrangeiros foram resgatados do dilema para sobreviver ou sucumbir. 

Frente à nobreza de seus gestos se comoveram até políticos dos países hostis à Republica Democrática da Coreia. Shin Kanemaru, o ex-vice-primeiro-ministro japonês disse que por ele, dedicaria até a sua vida sem hesitação. Jimmy Carter, ex-presidente dos EUA disse que o presidente Kim Il Sung é maior do que George Washington, Thomas Jefferson e Abraham Lincoln juntos, os norte-americanos mais ilustres que representaram a construção do destino dos Estados Unidos da América. 

Kim Il Sung vive no coração da humanidade.



imagem-logo