Últimas >>
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Cyborg e lutadores do DF brilham no UFC Brasília

O público que compareceu ao ginásio Nílson Nelson na noite desse sábado (24) certamente não saiu decepcionado com o que viu. Com grandes atuações dos brasileiros, a plateia vibrou e participou com o espetáculo do UFC Brasília. Os destaques da noite foram, como esperado, a curitibana Cris Cyborg que venceu a principal luta da noite e o lutadores que representam o Distrito Federal. Segundo os organizadores, todos os ingressos foram vendidos e o evento foi um sucesso. 


Todo o esforço que Cyborg fez para alcançar o peso e lutar valeu a pena. A brasileira não deu a menor chance para a sueca Lina Lansberg, que mostrou muita garra e coração, e conseguiu aguentar até o segundo round, apesar do castigo sofrido desde o início do combate.

Ainda no octógono, Cyborg garantiu que seguirá aceitando os desafios que surgirem dentro do octógono: “Já tenho dois cinturões lá em casa, agora quero fazer super lutas para os meus fãs e deixá-los felizes”, disse, citando os títulos do Strikeforce e do Invicta FC.

Na luta anterior, o ex-campeão peso-galo Renan Barão superou o norte-americano Phillipe Nover na luta co-principal do UFC Brasília neste sábado por decisão unânime. Esta foi a primeira vitória de Barão desde a mudança para a divisão dos penas.

Card preliminar

O UFC Brasília começou com saldo positivo para os atletas brasileiros, que venceram quatro de cinco lutas contra estrangeiros no card preliminar. Mas a noite não começou tão bem. Na primeira luta, Gregor Gillespie venceu o brasileiro Glaico Franca por decisão unânime (29-27, 29-27, 29-27). 

Em seguida, o meio-médio Vicente Luque não tomou conhecimento de Hector Urbina e precisou de apenas um minuto para confirmar a boa fase e emplacar a terceira vitória consecutiva no octógono. O brasiliense começou agressivo e, após conectar um boa sequência com um gancho e um cruzado, sentiu o adversário recuar e fechou a conta com um potente golpe de direita, que levou Urbina direto ao chão, desacordado. O desempenho do atleta foi considerado o melhor da noite e ele faturou 50 mil dólares como premiação. Ao final da luta, Luque comemorou o fato de ter vencido em casa. "Estou feliz demais! Estou lutando em casa. Essa vitória é para vocês [apontando para o público]", declarou.

Outro representante do DF no octogono, Alan Nuguette frustrou o escocês Stevie Raye conquistou um grande triunfo na cidade em que viveu grande parte de sua vida. "Eu sempre fui considerado azarão, desde a época que lutava na rua. Mas somos nós que escolhemos nosso destino. Eu escolhi ser vencedor", desabafou ao final da luta.

Representante de Brasília no UFC, Francisco Massaranduba superou Paul Felder por nocaute técnico no UFC Brasília e chegou à sétima vitória consecutiva no Ultimate. O brasileiro fazia um terceiro round consciente, se mexendo bastante e conectando a maioria dos golpes, quando o árbitro interrompeu o duelo devido ao abundante sangramento no rosto de Felder. Os médicos decretaram que o norte-americano não poderia voltar, caracterizando o nocaute técnico a favor de Massaranduba. “A gente sempre acha que poderia ter lutado melhor, mas estou feliz com a vitória. Eu poderia ter conseguido um nocaute melhor no terceiro round, mas venci, a torcida gostou e no final é isso que importa", lamentou.

Na melhor luta da noite, os brasileiros Erick Silva e Luan Chagas deixaram tudo o que tinham dentro do octógono e arrancaram aplausos do público brasiliense. A guerra entre os meio-médios, que terminou com vitória de Erick por finalização no terceiro round, foi eleita a Luta da Noite do UFC Brasília. Cada um dos lutadores vai receber 50 mil dólares como premiação. 

Confira todos os resultados do UFC Brasília:

Peso combinado: Cris Cyborg venceu Lina Lansberg por nocaute técnico aos 2m29s do 2º round;

Peso-pena: Renan Barao venceu Phillipe Nover por decisão unânime (29-28, 29-28, 30-27);

Peso-pesado: Roy Nelson venceu Antônio Pezão por nocaute aos 4m10s do 2º round;

Peso-leve: Francisco Massaranduba venceu Paul Felder por nocaute técnico (interrupção médica) aos 2m25s do 3º round;

Peso-médio: Eric Spicely venceu Thiago Santos por finalização (mata-leão) aos 2m58s do 1º round;

Peso-pena: Godofredo Pepey venceu Mike De La Torre por finalização (mata-leão) aos 3m03s do 1º round;

Peso-leve: Michel Prazeres venceu Gilbert Burns por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27);

Peso-galo: Rani Yahya venceu Michinori Tanaka por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28);

Peso-mosca: Jussier Formiga venceu Dustin Ortiz por decisão unânime (30-27, 29-27, 29-28);

Peso meio-médio: Erick Silva venceu Luan Chagas por finalização (mata-leão) aos 3m57s do 3º round;

Peso-leve: Alan Patrick venceu Stevie Ray por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28);

Peso meio-médio: Vicente Luque venceu Hector Urbina por nocaute a 1m00s do 1º round;

Peso-leve: Gregor Gillespie venceu Glaico Franca por decisão unânime (29-27, 29-27, 29-27).

Da redação do Alô, com informações do UFC


Nenhum comentário:

Postar um comentário



imagem-logo